O Bahia voltou ao caminho de triunfos, e principalmente em casa, na tarde de hoje, ao vencer a equipe do São Paulo por 2×1. Com uma boa atuação de Régis e excelente de Mendoza por boa parte da partida, o Esquadrão conduziu um grande resultado sobre um adversário direto na briga contra o rebaixamento.

No primeiro tempo, o equilíbrio da partida foi grande, porém, como mandante, o Bahia tinha uma leve vantagem e era quem mais propunha o jogo. Aos 40′, num bom cruzamento de Rodrigão seguido da falha de Arboleta, Régis abriu o marcador para o Bahia. Enquanto isso, o lado esquerdo do Esquadrão era o maior problema, já que sofria com péssimas atuações da dupla colombiana Mendoza e Armero, o segundo chegou a ser vaiado pela torcida ao tocar na bola. Porém, o que poucos esperavam era uma virada para os dois, principalmente Mendoza, que carregou os contra-ataques do Bahia com toda a velocidade e inteligência que se espera dele. Aos 43′, foi a vez do velocista marcar pela primeira vez com a camisa do Esquadrão, numa assistência de Régis. Ao apagar das luzes da primeira etapa, Jean saiu mal e pulou em cima de Pratto, já marcado por Tiago, dentro da área, matando a jogada e dando um pênalti gratuitamente aos paulistanos. Hernanes converteu.

Na segunda parte, o jogo ficou bastante nervoso. O São Paulo voltou disposto a arrancar o empate do Bahia e a equipe de Preto Casagrande se portava cada vez mais defensiva, o que agravou-se com a saída de Régis para a entrada de Juninho, deixando o time com 3 volantes e postado atrás, à espera de contra-ataques. Eles vieram, e em muitas oportunidades criadas por Mendoza, o Bahia poderia ter ampliado o placar. Com Allione, impedido, o Bahia chegou ao 3º gol já no fim de jogo, que foi corretamente anulado pela arbitragem.

O Esquadrão, ainda que tenha conseguido dois bons resultados empatando com a Chapecoense na Arena Condá e vencendo um ‘jogo de 6 pontos’ como o de hoje, não mostrou uma grande evolução tática de Jorginho para Preto Casagrande. A postura de busca por posse de bola, contra-ataques e respeito ao adversário foi a mesma nas duas oportunidades do interino que, para nossa sorte, não perdeu. Com 2 bons resultados e poucas opções no mercado, a atmosfera no Bahia é completamente favorável à permanência de Preto no comando da equipe, além do treinador deixar clara nas coletivas a sua intenção de ficar no cargo, mas não necessariamente seja a melhor alternativa.

O Bahia encerra o primeiro turno na 14ª posição e a 4 pontos de distância da zona de rebaixamento. Pelo segundo turno, o Esquadrão volta a campo no próximo domingo (13), fora de casa, para enfrentar o Atlético-PR. O retrospecto recente sobre os curitibanos é bom, já que o Tricolor aplicou uma sonora goleada por 6×2, de virada, na primeira partida do Brasileirão.

Matéria: Gabriel Marinho
Foto: Marcelo Malaquias / Sou Mais Bahia

Gabriel Marinho

Ver todas as postagens