Em reunião no Fazendão, no fim da manhã de hoje, a diretoria do Bahia decidiu por demitir o treinador Jorginho, pouco antes do embarque da delegação para Chapecó, onde o Esquadrão atuará pela 18ª rodada do Brasileirão, na próxima quarta (2). O presidente Marcelo Sant’ana concedeu entrevista ao programa de rádio do clube e falou sobre a demissão. Para ele, há a necessidade de mais calma na contratação de um substituto para o cargo de treinador:

“A gente não pode ter pressa para trazer um substituto. Trouxemos o Jorginho com agilidade grande para substituir o Guto, dessa vez temos que ter atenção redobrada. O Jorginho fez um trabalho de dois meses, sabemos que não é o adequado, não é o que a diretoria defende. Mas temos que ter em mente o Bahia, o andamento do clube nas competições. Estamos com o Preto nessa partida contra a Chapecoense, vamos trabalhar com calma, observar esse jogo que é muito importante, um confronto direto. Acredito que o clube não pode se equivocar novamente na escolha do profissional. Temos que fazer com muita tranquilidade e sem perder em vista o desempenho do clube no campeonato. Estamos dois pontos à frente da zona”, declarou.

O Bahia já está no interior de Santa Catarina, onde se prepara para enfrentar a Chapecoense na próxima rodada. O retrospecto entre as equipes não é favorável para o Esquadrão, sendo apenas 2 partidas na história, ambas vencidas pelos catarinenses. Para o comando técnico do Esquadrão neste jogo, o escolhido pela diretoria foi Preto Casagrande, ídolo do clube, e que já fazia parte da comissão técnica do Bahia desde a passagem de Guto Ferreira. Nomes como os de Antônio Carlos Zago e Eduardo Baptista são apontados como potenciais escolhas, além de Guto Ferreira, que comanda o Internacional amanhã (1), contra o Goiás, na Série B, e já balança no cargo do Colorado.

Matéria: Gabriel Marinho

Gabriel Marinho

Ver todas as postagens